domingo, 15 de agosto de 2010

Falando de chinelos até chegar em consumismo!!!


Estava eu perambulando pelo centrão de Beagá City procurando um chinelo, pois o meu tinha arrebentado. De repente me deparei com esses chinelos RB! Preto de bolinhas brancas e com um lacinho do lado... meu coração disparou... Tum tum tum! Foi paixão à primeira vista. Não pensei duas vezes e comprei pelo precinho amigo de apenas 6 dinheirinhos!

Acostumada a usar as legitimas HAVAIANAS, que custam bem mais, desconfiei do “pobrezinho“ do RB! Pensei que um chinelo que custou apenas R$ 6,00 seria descartável e de péssima qualidade. Me enganei redondamente, pois os meus chinelos RB estão nos meus pezinhos diariamente há mais de 1 mês sem desbotar ou arrebentar. E olha que eu tomo até banho com eles.



Fiquei pensando nessa relação preço X qualidade e acho que a mídia é tão poderosa que coloca certas ideias na cabeça da gente... afinal vivemos na sociedade do consumo.
Nem sempre a qualidade está relacionada ao preço do produto. E o produto não precisa também ser de uma “marca” famosa pra ter qualidade, não é?

Fiquei pensando então na minha relação com as sandálias Havainas e lembrei que desde pequena fui familiarizada com o Havaí devido às sandálias Havaianas que passam de geração para geração, desde 1962.



Me lembro da época em que estes chinelos duravam uma eternidade, eram ainda daqueles modelos antigos borrachões pesados, quase brancos com as tiras em cores bem feias, geralmente azuis, verdes ou pretas. Não sei se ainda tem para vender estes feinhos. Até pouco tempo meu pai ainda tinha um destes em uso.



Nas últimas décadas as Havaianas mudaram demais, agora estão mais no estilo fashion, coloridas, com design assinados e tudo mais. Hoje são, no total, 250 estilos e 50 cores.

Até mesmo as Havainas não são feitas mais para durar uma eternidade... são tantos lançamentos e cores que desejamos sempre trocar de chinelos. E também, em pleno século XXI qual a empresa que quer fabricar algo que o cliente só compra 1 vez na vida?



Hoje em dia queremos ter milhares de pares de chinelos, um de cada cor para combinar com cada roupa e humor do dia e todos os modelitos que sairem para estar sempre na moda. Aliás, queremos ter quase tudooo que vemos nas propagandas e nos blogs também, né naum???

Enfim, na sociedade em que vivemos o consumo se tornou um fator importante de construção de representações sociais. Ao comprar, não apenas se adquire um produto ou um serviço, mas define-se o status, e mesmo a identidade, de um indivíduo. É o "compro, logo existo", uma forma do indivíduo se posicionar e de se diferenciar dentro da sociedade através do que consome.

Logicamente o consumo é necessário na vida de todos os cidadãos, mas aqui o que estou discutindo é o montante e exagero no ato de consumir. Especialmente nós, mulheres, corremos este risco quando não nos sentimos plenamente satisfeitas com os milhões de produtos de beleza, roupas e sapatos que temos e desejamos sempre mais.

Cuidado amigas! A sociedade de consumo vende a satisfação dos desejos individuais, mas desperta nos consumidores a cada momento novos desejos a serem satisfeitos, fazendo-os querer (e consumir) sempre mais.

Eu mesma adoro comprar... nem que seja um esmalte! Fico tão felizzzzzz! Rs... E sempre estou desejando "ter" trilhões de coisas. Mas, de um tempinho pra cá estou mais consciente nas minhas comprinhas!!! Rssss

Também penso que o importante é não se endividar, não entrar no cheque especial etc etc por compulsão por "compras desnecessárias"... é minha gente, tem pessoas que passam dos limites, não é?!

E vocês, o que pensam sobre este assunto?


Sugestão de leitura:
Shopping Center: a catedral das mercadorias
Autora: Valquíria Padilha
Boitempo Editorial - 224 páginas

9 comentários:

Monike disse...

Mas que chinelo fofo que vc comprou

bjs

Anônimo disse...

Ótimo texto... realmente seu blo é feito para mulheres de conteúdo. Adorei a reflexão wan

parabéns!

Eliane

Luciana Penteado disse...

Oi, Wan, um chinelinho é necessário e convidativo... Confesso que aqui no Sul andamos sem oportunidade de usar um chinelinho já que o frio tá intenso. Mas a primavera chegando, é hora de ir pra loja e inovar.

Beijos

Dáfni disse...

Eu concordo com tudo o que falou, Wan. Eu mesma acho que sou vítima desta overdose de opções e de must-haves... Tenho pensado sobre isso há algum tempo, mas confesso que ainda sou fisgada por "edições limitadas"!

Beijos

Li disse...

Ei Wan

To precisando mto da sua help!
Add meu novo blog?
Me denunciaram *por algo q n fiz* e eles simplesmente deletaram meu blog O.o
To correndo atras das seguidoras, e recomeçando do O =( *aff*

=* vlw pela força

Tatty disse...

Confesso que não sou mto amante de chinelos. Só uso em casa msm!!!
Bjs, Tatty

http://suspirofashion.blogspot.com/

Núbia Oliveira disse...

Amiga eu tenho um chinelo assim de bolinhas, acho lindo demais. Naum sei ai em Bh, mas aqui na minha cidade é febre a meninas andar de rasteiras para trabalhar e só colocar o salto no trabalho mesmo, eu até já aderi e agora vivo comprando umas rasteiras lindas, aqui também tem loja com cada rasteira linda.

Jornal da Lulu Teen - By Luíza disse...

amei o 1º chinelo!!!
bjnssss
Luíza
http://jornaldaluluteen.blogspot.com

Blog Consuma com Moderação disse...

Oi Wan!
Eu cooncordo com você!
Jamais me endividei por causa disso.
Adoro comprar, é uma delícia, mas acho que tudo tem limite.
Beijos!